Este artigo é sobre Digital

Princípios para uma cultura de inovação

Paulo Henrique Bezerra

Consultor de Inovação

Publicado em
10 de Novembro de 2020

Inovação pode soar como uma miragem ou algo turvo nesse novo mundo de alta velocidade

Inovação. Essa palavra pode soar como uma miragem ou algo turvo nesse novo mundo de alta velocidade. Mas pode ser diferente. Em um recente artigo publicado em 20/08/20 na revista "Harvard Business Review", o grande Steve Blank (autor de livros como "A startup enxuta" e "De zero a um") disse:

"O tipo de ruptura que a maioria das empresas e agências governamentais enfrentam no momento é bastante raro. Hoje, a ruptura significa mais do que simples alterações em tecnologia, canal ou concorrentes — a ruptura é tudo isso, simultaneamente.

Em suma, as grandes organizações carecem de crenças, princípios, táticas, técnicas, procedimentos, organização, orçamento etc. que sejam compartilhados e que expliquem como e onde a inovação deve ser aplicada e sua relação com a entrega rápida de novos produtos. É possível necessário criarmos uma mentalidade, uma cultura e um processo para corrigir isso."

Recentemente tivemos 2 eventos muito interessantes na Qintess:

1 - A 2a. edição do encontro "Economics of Change", no qual 6 grandes speakers conversaram sobre diversidade, inovação, questões raciais, patrocínio e igualdade. 

2 - O Webinar "Empoderamento e Sororidade", onde foram comentados temas como espaço de fala, oportunidades, solidariedade feminina, e abordagem com minorias.

Quando Steve Blank comenta sobre a necessidade de "crenças, princípios, táticas, técnicas, procedimentos, organização, orçamento..." me agrada saber que esses eventos promovem novas crenças e princípios. Mais do que só o resultado, estamos fomentando na nossa empresa uma incrível tese na qual é possível encontrar bons resultados por meio de novas formas de pensar.

Crenças e princípios surgem de um olhar diferente!

Em inovação, também existe uma literatura que diz sobre princípios para se posicionar para o futuro.

No livro "A estratégia da Inovação Radical", o autor trata de 6 princípios que as empresas precisam explorar para se tornar realmente inovadora:

  1. Design Organizacional, no qual estruturas são definidas em função de desafios e estratégias flexíveis, mas que conecte toda a corporação;

  2. Gestão Ágil, que diz sobre a mentalidade de equipes na entrega de resultados que gerem real valor para os clientes (internos e externos);

  3. Pensamento de investidor, que trata essencialmente da necessidade de arriscar na ideia que tem possibilidade de dar certo.

  4. Atitude de "matar seu negócio atual", onde há uma provocação sobre a sustentabilidade do portfólio atual da companhia;

  5. Trabalho com parceiros, podendo ser Startups, fornecedores, clientes, entidades estudantis, e até concorrentes!

  6. Centralização do cliente, em que a paixão pelo problema a ser resolvido é maior do que o produto ou a tecnologia.

Se para criarmos uma mentalidade, uma cultura e um processo de inovação precisamos pensar em como conectar tudo isso, então reflita qual caminho você escolheria para dar os seus primeiros passos. Uma nova atitude pode gerar um novo comportamento, um novo hábito, uma nova realidade. Porque quando a gente muda, o mundo muda com a gente.

E nossa visão fica menos turva e as miragens tendem a virar realidade.

Pense fora da caixa e seja uma caixa diferente!

Espero que tenham gostado, e nos encontramos por aí!

Este artigo é sobre Digital

Fale conosco

Entre em contato conosco e saiba como podemos apoiar a sua empresa no caminho rumo à transformação digital

manage cookies